Wednesday, March 3, 2010

It feels so good just to be yours, I wouldn’t miss it for the world

Chegaste a casa e fechaste a porta com mais força do que o habitual. Passaste por mim em silêncio. E eu pressenti que devias estar num mau dia. Daqueles dias em que fingias que eu não existia. Daqueles dias em que tudo aquilo que eu fazia era precisamente o contrário daquilo que tu farias. Daqueles dias em que inexplicavelmente me odiavas. Não por alguma coisa que eu tivesse feito, mas porque sim. Eu até acho que não sabias bem o porquê. Era o teu mau humor que te tornava numa pessoa completamente diferente. E infelizmente vim a descobrir tarde demais esse teu lado. Escuro. Insensível. Egoísta.
Percebo essa tua vontade de te isolares de vez em quando. De teres o teu espaço. O teu canto. A única coisa que não percebo é porque me excluis. Porque é que fazes questão de me espezinhares. Na minha cabeça, tudo isso entra em contradição com aquilo que me disseste quando nos conhecemos. Dizias que te sentias bem nos meus braços. Que gostavas da protecção que eu te dava. Fechavas os olhos quando me beijavas. Não me querias perder por nada. E agora fazes com que me sinta a mais. Já não precisas de mim para te completar. És auto-suficiente. Demais até. Fazes-me parecer inútil ao pé de ti. Esqueces-te de mim. Ignoras-me. Desprezas-me. E não imaginas como me estás a deixar vazio. Absorveste tudo o que havia em mim. E deixaste-me aqui simplesmente. Para quando te apetecer, talvez.

Lembras-te das nossas primeiras noites juntos? Querias-me junto a ti. Os nossos corpos tornavam-se num só. Tocavas-me na cara. Trincavas-me o lábio. Eu sentia-te respirar. O meu nariz tocava no teu pescoço. E imaginávamos que toda a nossa vida podia ser assim. Feliz e perfeita. No início tudo pareceu eterno. E eu pensava que a eternidade não tinha fim. Mas enganei-me mais uma vez. Não tens noção do tempo que esperei por ti. Para ter a certeza que estávamos na mesma página. Mesmo quando ninguém dava nada por nós. E afinal parece que só estavam a ver aquilo que não queríamos ver. Éramos demasiado diferentes. E as nossas diferenças nunca nos aproximaram, pelo contrário. Deixavam aquele vazio, impossível de preencher, impossível de evitar.

Nunca pensei chegar até onde estou neste momento. Quero-te ao meu lado como nunca quis ninguém. Quero que me ames, que olhes para mim, que me faças sentir especial. Quero que me surpreendas, que me desejes, que partilhes o que há de mais banal comigo. Não quero que vivas no teu mundo e me deixes no meu. Porque não podemos habitar o nosso mundo? Porque não voltas a entrelaçar os teus dedos nos meus? Porque não me empurras contra a porta e me beijas? Para mim as coisas fazem mais sentido quando estás comigo. Quero voltar a apaixonar-me por ti. Vezes sem conta. Sentir o frio na barriga. O meu respirar nervoso e instável. Quero o teu mistério, a tua voz no meu ouvido, o cair do teu cabelo no meu corpo, a tua alma, o teu calor.
Por ti podia até ser inconsequente, desde que não existissem dias em que bates a porta com mais força do que o costume. Nesses dias eu não sou ninguém. Não existo. Sou apenas um fantasma. Uma sombra. Tudo aquilo que vivemos foi mágico e nesses dias deixa de o ser. Fazes-me não querer ter portas em casa. Por isso, desejo prolongar-te na minha existência. Dar-te tudo o que tenho. Entregar-te a minha essência de mãos abertas. Sou teu. De mais ninguém. Promete-me apenas que não chegas tarde demais, nem partes demasiado cedo. Podemos fechar então a porta de casa, com a força suficiente para ficarmos trancados numa felicidade eterna que acredito que anseias tanto quanto eu.

13 comments:

Barbie is a Bitch Darling said...

alguem aqui está mt apaixonado :) belo texto, eu derretia-me se alguem me escrevesse um texto destes. de certeza que ela vai gostar

:)

Jojozinha said...

Ze, toda gente que te conhece sabe como és especial e como tens uma infinitude de dons que sabes e consegues expressar. Escrever é um deles.
Dou significado a este texto porque vejo como consegues te transpor na vida de qualquer outra pessoa e mostrar a sua prespectiva. E esse e um dom muito maior do que o dom de escrever. é o dom humano. o dom do perceber, ajudar, e interpretar a visao dos outros. de te transpores na pele deles como se fosses eles proprios.
Se calhar podes nem te ter apercebido disso... podes nem ligar... até agora tens o aproveitado para ajudar os teus amigos (a mim por ex.), pode ate ter sido inconscientemente. Mas a partir de hoje, dá-lhe mais valor. dá te mais valor.
Porque és mesmo excelente. E raro!

Sofia,Pedro e Joana said...

Olá, sublime este texto. Penso que conseguiste traduzir muito bem em palavras sentimentos tão complexos como o amor e as relações humanas. Não é fácil, e chega mesmo a ser uma contradição, sentirmo-nos um ponto de interrogação numa relação que é um ponto de exclamação...
Parabéns, e, por favor, presenteia-nos com mais textos desta natureza :-)
Beijinhos

Neni said...

Um texto tão bem escrito e fàcil de ler por ser simples e tão autêntico.
Gostei muito, muito.
Que coisa bonita e ao mesmo tempo triste, o amor.

Susana S' said...

Eu quero realmente comentar este texto, mas atrevo-me a dizer que não consigo. Deixaste-me a pensar. Pode ser que volte mais tarde e já consiga dizer algo ocm sentido. Pode ser que já consiga fazer com que as palavras trasbordem emoção, como tu fizeste neste texto.


xx

MafaldaMacedo said...

Adorei, continua com estes por favorr !

Richie =) said...

Olá =)

Descobri o teu blog por acaso esta manhã e tenho a dizer que gosto. Este post então deixou-me sem palavras...isto porque infelizmente não sou tão bom a escrever como tu, sou melhor a trabalhar imagem, coisas de designer =) gostei, e vou voltar mais vezes.

Já agora, os oboe da wesc sao lindos, neste momento tenho os pretos e dourados, mas em termos de som deixam muito a desejar. Não são maus,mas há bem melhor dentro desse segmento. O mac, se ainda nao tens aconselho...eu já uso há imensos anos.

E não te preocupes, porque quem te disse que o Mac não dá pra fazer copy/paste deve concerteza viver num outro planeta, ou então é simplesmente um bocadinho "básico" =P o meu pelo menos dá! LOL

TTRoyalty said...

I love you and I love this post so much!
xx
R.

Catarina Silva said...

incrivel.

continuando assim... said...

convite para seguir a história de Alice, lá no
--- continuando assim... ---

bj
bom fim de semana
teresa

Catarina said...

Acabei de descobrir o teu blog e a tua tão espontânea e prazerosa forma como traduzes pensamentos e sentimentos em palavras.
Não conheço a tua história mas identifico-me bastante com ela e talvez por esse mesmo motivo me tenha envolvido tão intensamente no que escreveste.
Vou ficar atenta aos próximos posts. Entretanto vou devorar os anteriores...

Vi said...

nao vinha aqui há algum tempo e qd venho quase que me fazes chorar!!! LINDO!
xoxo

MS said...

Isto deixa-me sem palavras! Aposto que ela adorou, porque está mesmo qualquer coisa de BRUTAL! :) Parabéns :D